Política de Reajuste de OPS põe em risco Atenção Domiciliar e Sistema Privado de Saúde

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) estabeleceu, há alguns anos, o IPCA como parâmetro mínimo para os reajustes das operadoras de planos de saúde aos prestadores de serviços. Mesmo vindo de um patamar norteado pelo IGPM, a agência implantou esse sistema que privilegia as OPs.

Contudo, ano após ano, as Operadoras insistem em pressionar e impor reajustes abaixo do IPCA, levando uma efetiva e marcante deterioração dos valores pagos ao setor, trazendo consigo uma pressão por custos e margens que podem comprometer a qualidade dos serviços e sua sustentabilidade. Prova disso é que várias empresas de Atenção Domiciliar, temendo a queda de qualidade de seus serviços ou o aumento dos riscos para seus pacientes, restringiram ou encerraram suas atividades.

Leia na íntegra

0 comentários em “Política de Reajuste de OPS põe em risco Atenção Domiciliar e Sistema Privado de Saúde”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *