Demanda por Home Care aumenta e inspira investimento em saúde no País

* Matéria da IstoÉ ouviu o fundador de uma Associada NEAD, a Pleno Saúde. 

O setor de saúde é considerado pelos mercados de capitais um dos mais atraentes para investir no Brasil. A área mostrou-se capaz de suportar os desafios e as crises em recentes desacelerações econômicas. Nesse nicho, chama atenção o papel e crescimento de empresas especializadas em saúde domiciliar (Home Care) no país. “Os números do último relatório global da Home Health Care Services–INSEAD indicam que o potencial de mercado na América Latina se manterá alto e o Brasil corresponde a 33%”, afirma Ricardo Spilborghs, médico sócio-fundador da Pleno Saúde. O aumento no número de estabelecimentos que prestam serviços de Home Care se dá por algumas razões básicas: o envelhecimento da população, que demanda novos tipos de cuidados, e consequentemente, de planos e operadoras que ofereçam a cobertura deste serviço.

Além disso, há ainda uma maior necessidade de desospitalização, o que pode provocar uma redução de custos entre 30 e 50% para as operadoras de saúde. “Considerando que grande parte da população está envelhecendo com doenças crônicas/degenerativas ou sequelas de outras, as pessoas precisarão de cuidados específicos por profissionais qualificados, mas sem a necessidade de permanecer no hospital ”, explica Spilborghs. O Home Care tem como principais benefícios a redução das infecções hospitalares em pacientes crônicos com complicações (diabéticos e pacientes com sequelas neurológicas após um acidente vascular cerebral, por exemplo), e proporcionar uma maior convivência do paciente com a família e outros que façam parte do seu círculo social.

Leia na íntegra

Compartilhe:Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

0 comentários em “Demanda por Home Care aumenta e inspira investimento em saúde no País”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

m